Notícias

Configura abaixo todas as notícias publicadas em nosso site. Caso tenha alguma sugestão Clique aqui !


Planta venenosa é risco para crianças

Nos últimos três anos, 73 crianças foram parar no Hospital deBase em Rio Preto por ingestão acidental de plantas venenosas - média de uma a cada 15 dias. No Brasil, 60% dos casos de intoxicação com plantas ocorrem em crianças com menos de 9 anos, segundo o Sistema Nacional de Informações Toxico-Farmacológicas (Sinitox).

No mês passado, um garoto de 8 anos, filho da fisioterapeuta Kátia Durand Silvestrini, de Rio Preto, entrou para essa estatística, ao colocar na boca uma flor da planta ornamental - mas venenosa - jasmim-manga, no jardim da escola em que estuda. O menino precisou seis horas de internação no HB para ser salvo. "Ele colocou a flor na boca e falou 'olha, mamãe'. Preocupada, na hora tirei o pedaço da planta dos lábios dele e rapidamente levei-o para o HB. Tudo com orientação do meu primo, que é botânico e me informou, por telefone, que a planta é altamente venenosa", diz a fisioterapeuta.

Depois desse susto, Kátia quer convencer a dona da escola a retirar a planta do alcance de outras crianças para evitar novos casos de intoxicação. "Sei que o jasmin-manga é muito bonito na decoração, mas essa beleza pode machucar, porque meu filho sofreu sérias queimaduras internas na boca, ficando por algum tempo com dificuldade para engolir", alerta a mãe. A intoxicação mais comum é com a planta comigo-ninguém-pode, muito usada para decoração de jardins.

A bióloga Beatriz Menegildo explica que a toxina da planta jasmin-manga está na flor e na seiva. O contato com a pele ou ingestão pode queimar e causar até alucinações. "É uma planta escolhida pela beleza das flores e pelo perfume de jasmim. Mas o ideal é arrancá-la para evitar intoxicação, ou cultivá-la em vasos suspensos", recomenda a bióloga.

O médico Carlos Alberto Caldeira Mendes, coordenador do Ceatox (Centro de Assistência Toxicológica), do Hospital de Base de Rio Preto, o médico Carlos Alberto Caldeira Mendes diz que o importante é agir rapidamente assim que descoberta a intoxicação. "Devem ser retirados todos os pedaços da planta da boca ou do contato da pele e lavar apenas com água e sabão. É vital levar para o pronto-socorro o nome e até a planta para que possamos fazer o tratamento adequado." O Ceatox mantém atendimento todos os dias em Rio Preto. O telefone é 0800-722-6001.







Copyright © 2022. Direitos de conteúdo reservados a:
RADIO CIDADE ALEGRIA FM

Mauritec